Artise - Associação dos Artistas de Sobradinho e Entorno

Partilhe este site...

 

Seja bem-vindo!

 Interrogação

Comentários

Telefones de Emergência 

Polícia Civil 197

Defesa Civil 199

Polícia Militar 190

Polícia Federal 194

Pronto-Socorro 192

Disque-Denúncia 181

Corpo de Bombeiros 193

Delegacias da Mulher 180

Polícia Rodoviária Fed. 191

Polícia Rodoviária Est. 198

Telefones Úteis

Ibama 152

Procon 151

Detran 154

CEB 0800-610196

INSS 0800-780191

Água e Esgoto 115

Vigilância Sanitária 150

Polícia Federal 3311-8000

 


ARTISE E O SISCULT

Artise_e_o_Siscult

ARTISE E O SISCULT

Maestro diz que sistema deve sofrer correções

José Edmar Gomes - Folha da Serra 24/01/2015

O maestro Alex Paz, ex-presidente e atual produtor executivo da Artise (Associação dos Artistas de Sobradinho e Entorno), entidade que representa artistas em shows e eventos públicos, ao fazer um balanço das atividades de 2014, elogiou o GDF pela implantação do Sistema de Cadastro Geral para Contratação Artística (Siscult).

Alex, no entanto, lamentou que os pagamentos tenham sido feitos sempre com atraso e que vários contratos não tenham sido honrados pelo GDF, o que deixa a entidade que dirige em situação difícil perante os artistas e com dificuldade para desenvolver suas atividades.

“O Siscult evitou falcatruas, atravessadores, emendeiros e cachês fora da realidade, mas o artista vive de seu trabalho e precisa comer e pagar suas contas. Quando ele trabalha e não recebe, como é que fica?”, indaga o maestro.

Rodízio - O Siscult foi implantado pelo Decreto Distrital 34.557, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal de 16 de agosto de 2013, e torna mais transparente o processo de contratação artística pelo poder público. Pelas regras do sistema, a contratação se dá por credenciamento e chamamento público, no caso de artistas locais.

O credenciamento, conforme a norma, consiste na formação de um banco de dados anual de artistas habilitados a serem contratados pela Administração Pública.

Nesta modalidade, a Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal (Secult) publica edital provisório, precedido de portaria, estabelecendo as condições e a contratação de artistas tem que respeitar o rodízio por estilo e área de atuação.

Registro - “A inscrição no Siscult é obrigatória e o sistema está aberto para que todos os artistas se cadastrem e possam ter o seu registro aprovado pela secretaria”, alertava, na época da implantação, o então subsecretário da Unidade de Administração, Alexandre Rangel.

Ele explicou, também, no site da Secult, que o credenciamento permanente seria efetivado após o debate e o envio de sugestões pelos Colegiados Setoriais de Cultura e Conselho de Cultura, sobre a forma de classificação dos artistas e a tabela anual de preço.

Conforme o decreto, pelo “chamamento público” os artistas são selecionados por meio de edital para atuarem em eventos específicos, observando o número de atrações a serem contratadas.

Cachês - Neste aspecto, o produtor executivo da Artise elogia o decreto que adota tabela de referência de valores para o pagamento de cachês. “Os músicos locais passaram a receber cachês de R$ 2 mil a R$ 18 mil, beneficiando muitos que não tinham oportunidades anteriormente”, observa Alex Paz.

Para isso, segundo Paz, o artista tinha que apresentar um ‘dossiê’, comprovando seu trabalho, que era avaliado e recebia uma pontuação que regulava seu cachê.

Alex esclarece que a associação que dirige promoveu 30 shows, ano passado, dentro das normas deste sistema, que ele considera democrático. Mas, segundo ele, o atraso nos pagamentos contribuiu para que o Siscult não alcançasse o objetivo.

O produtor executivo da Artise acredita, no entanto, que a nomeação do novo secretário de Cultura, Guilherme Reis, traz esperanças de reparação para com a classe artística e de uso racional do Siscult, aproveitando a experiência anterior, “que deve ser aprimorada.”

 

Projetos bombam nas praças

Brother - Folha da Serra - 24/01/2015

A Artise (Associação dos Artistas de Sobradinho e Entorno) desenvolveu, em 2013/14, importantes projetos artísticos/musicais em Sobradinho e Sobradinho II. Entre eles, o Festival de Outono, que ocupou os palcos da Feira da Lua e da Praça das Artes Teodoro Freire, entre maio e junho do ano passado.

Mas, foi o projeto Cantos & Encontros da Serra, que fez rodízios pelos vários palcos da cidade, que atraiu enorme público, principalmente aos shows de Shangai, na Feira da Lua; e da banda de rock Plebe Rude, na Praça das Artes Teodoro Freire, que atraiu um dos maiores públicos que Sobradinho já viu.